AVALIAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS SUPERFICIAIS DOS INSTRUMENTOS RECIPROC, RECIPROC BLUE E XP-ENDO SHAPER

  • Fernanda Kac Szmajser Faculdade de Odontologia, Universidade Veiga de Almeida, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
  • Gabriela Hernandez Costa Faculdade de Odontologia, Universidade Veiga de Almeida, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
  • Letícia do Vale Campos Simão Faculdade de Odontologia, Universidade Veiga de Almeida, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
  • Carolina Oliveira de Lima Faculdade de Odontologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
  • Renata Antoun Simão Departamento de Odontologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
  • Celso Neiva Campos Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil
  • Maíra Prado Faculdade de Odontologia, Universidade Veiga de Almeida, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Resumo

Introdução: o controle da qualidade no processo de fabricação dos instrumentos endodônticos é importante uma vez que defeitos e falhas superficiais podem comprometer o preparo dos canais. Objetivo: avaliar a presença de defeitos e falhas do processo de fabricação na superfície de instrumentos Reciproc (R25), Reciproc Blue (RB25) e XP-endo shaper (XP), por meio de microscopia eletrônica de varredura (MEV). Materiais e Métodos: Ao total, foram avaliados 60 instrumentos de níquel titânio, sendo 20 por grupo: R25, RB25 e XP, em três regiões: 0mm (ponta do instrumento), 4mm e 7mm da ponta, no MEV, com aumento de 100x. As imagens foram avaliadas quanto ao número de falhas de fabricação (bordo irregular, ranhura, microcavidade e rebarba) e por um sistema de escores de 1 a 4, sendo 1, nenhuma área com defeito e 4, mais de cinco áreas com defeitos na superfície. Os dados foram submetidos à análise estatística utilizando o teste de Dunn (p<0,05). Resultados: Sobre a análise por regiões, foram identificadas diferenças significativas em grande parte dos instrumentos. Comparando os diferentes instrumentos, não foi observada diferença significativa para microcavidade (p=0,76), bordo irregular (p=0,98) e rebarba (p=0,40). O instrumento R25 mostrou maior número de ranhuras em comparação aos demais (p=0,0000*). RB25 mostrou maiores valores de escores que os instrumentos R25 (p= 0,0002) e XP (p=0,01). Conclusão: Todos os instrumentos avaliados apresentaram defeitos/falhas superficiais do processo de fabricação.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Szmajser, F., Costa, G., Simão, L., Lima, C., Simão, R., Campos, C., & Prado, M. (2020). AVALIAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS SUPERFICIAIS DOS INSTRUMENTOS RECIPROC, RECIPROC BLUE E XP-ENDO SHAPER. Revista CientíFica Do CRO-RJ (Rio De Janeiro Dental Journal), 5(3), 35-41. Recuperado de https://cro-rj.org.br/revcientifica/index.php/revista/article/view/195/118
Seção
Artigos